f  
MANUTENÇÃO E RECUPERAÇÃO FÍSICA (PLANOS ESPECIAIS)

      Tendo como meta o alcance do bem-estar físico, mental e social através de práticas saudáveis e específicas de exercício. A Behealth.com.pt, no âmbito da Manutenção e Recuperação Física e num contexto abrangente, disponibiliza-lhe o Plano Zero, direcionado para pessoas isentas de quaisquer problemas de saúde relevantes. De uma forma mais distintiva disponibilizamos-lhe Planos Especiais, tendo em conta a condição específica em que se possa encontrar. Todos os serviços aqui enunciados são em plano individual, através de deslocação ao domicílio ou em espaço físico. Atividades em grupo são organizadas pontualmente e anunciadas previamente na nossa página inicial. Em qualquer caso de dúvida por favor não hesite em contactar-nos.

PLANO ZERO

      Numa sociedade cada vez mais exigente a nível laboral e familiar, o combate ao sedentarismo torna-se hoje um dos objetivos principais dos profissionais de saúde    no combate à obesidade, ao stress e à prevenção do aparecimento de certas doenças. A Behealth.com.pt, em conjunto com os seus profissionais disponibiliza-lhe este Plano mais abrangente para quem tenha como objetivo a manutenção física ou melhoria de algumas condições sem elevada especificidade. Dos 8 aos 80, consoante o seu género, peso, altura, etc., criamos-lhe um plano de exercício adequado à sua condição visando a manutenção e melhoria do seu estado de saúde.   


PLANO PRÉ / PÓS-PARTO

      Longe vão os dias em que atividade física pré e pós-parto era totalmente desaconselhada pelos profissionais de saúde, hoje em dia é mais que verdade que a sua prática não só melhora a condição física, prevenindo como por exemplo estados de intolerância à glicose (Diabetes Gestacional), Hipertensão induzida pela gravidez, Pré-Eclampsia / Eclampsia, da Mãe / Futura Mãe como também a ajuda nas tarefas específicas do parto. 

As sessões individuais que a Behealth.com.pt, através do seu Plano Pré / Pós-Parto disponibiliza visam; a prevenção de dores na coluna vertebral e falta de ar que poderão advir da gestação, adaptação muscular às possíveis perdas de equilíbrio provenientes das alterações morfológicas igualmente adjacentes à gestação, fortalecimento da musculatura pélvica para preparação ao parto, tonificação muscular, recuperação de silhueta numa fase pós-parto, entre outras..


PLANO INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

      A Insuficiência Cardíaca (IC) é definida sempre que a quantidade de sangue bombeada pelo coração por minuto (débito   cardíaco) é insuficiente para satisfazer as quantidades de sangue e oxigénio necessárias ao funcionamento do nosso organismo. Poderá ser de ataque súbito; Insuficiência Cardíaca Aguda (ICA): estado pontual que torna o coração incapaz momentaneamente de desencadear todo o seu processo biomecânico, como exemplo o enfarte do miocárdio e a arritmia aguda, ou então desenvolver-se gradualmente (às vezes durante anos) resultado de condições como a hipertensão, diabetes, aterosclerose, obesidade, stress, tabagismo e uso de drogas; Insuficiência Cardíaca Crónica (ICC).

De elevada morbilidade e mortalidade (estima-se que cerca de 70% destes indivíduos morrem antes de ultrapassados 10 anos após o diagnóstico deste estado).

O exercício físico é fundamental neste quadro clínico e determinante no aumento da esperança de vida destes indivíduos, atividades moderadas que visem o aumento e otimização da capacidade cardiovascular, são o alicerce num plano de ação na prescrição de exercício para esta condição.


PLANO HIPERTENSÃO  

      A HTA (Hipertensão Arterial) é considerada hoje em dia como uma das doenças mais prevalecentes da sociedade moderna, hábitos de vida menos saudáveis, como o consumo excessivo de álcool, tabaco e sal, associados ao elevado sedentarismo, são uns dos principais responsáveis pelo aparecimento desta doença.

A Hipertensão Arterial de uma maneira geral, não manifesta quaisquer sintomas relevantes antes do seu diagnóstico, apenas é detetável através de uma medição, daí ser designada muitas vezes como uma doença silenciosa. Segundo a O.M.S. (Organização Mundial de Saúde) um indivíduo é considerado Hipertenso quando em dois dias diferentes se constatam valores de pressão sistólica igual ou superior a 140 mmHg e/ou valores de pressão diastólica igual ou superior a 90 mmHg.

A prática de exercício físico específico, que valorize o trabalho cardiovascular moderado, em casos de Hipertensão Arterial, não só constitui um fator primordial na redução ou mesmo normalização dos valores de pressão arterial como também na redução para níveis significativamente baixos da probabilidade de ocorrência de ataques súbitos como por exemplo o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e Enfarte do Miocárdio, consequentes da Hipertensão Patológica. 


PLANO PÓS ENFARTE DO MIOCÁRDIO

      O Enfarte do Miocárdio ou no vocabulário mais comum Ataque Cardíaco ocorre quando há um bloqueio prolongado de uma ou mais artérias que levam sangue ao músculo cardíaco resultante na maioria das vezes de uma acumulação de ateromas na parede da artéria (aterosclerose), embora outros fatores, mais raros, possam levar ao desencadeamento deste episódio, como; anomalias congénitas, desequilíbrios de coagulação, consumo de drogas, etc.

Exercícios de intensidade moderada com incidência cardiovascular são praticamente obrigatórios numa melhoria da condição física após este incidente.


PLANO OSTEOPOROSE

      Apesar de ser considerada por muitos como uma doença; a Osteoporose não é nada mais nada menos do que uma condição de vida, fazendo parte inevitável do envelhecimento humano. Por ser praticamente assintomática, é diagnosticada na maioria das vezes somente após a ocorrência de uma fratura. Caracterizada pela diminuição da Densidade Mineral Óssea (DMO), que por sua consequência leva à perda de coesão do osso e fragilidade do mesmo, expondo-o a um maior risco de fraturas.

Apesar de exercícios aquáticos serem muitos vezes recomendados, estes por si só não constituem um fator primordial à melhoria da condição, a prática de exercício físico especifico com suporte do peso corporal não só por si é fundamental à "colocação de pressão óssea" essencial no processo de aumento da Densidade Mineral Óssea, como também na prevenção e redução do risco de quedas, devido ao aumento da capacidade de equilíbrio que este tipo de exercício induz.  Um Plano de Exercício Específico e individual nestes casos é determinante para uma melhoria significativa da condição. 


PLANO FIBROMIALGIA

    Com maior predominância nas mulheres, a Fibromialgia caracteriza-se essencialmente por dores nos tecidos moles (músculos, tendões e articulações), fadiga extrema e perturbações no sono, embora outros sintomas possam ser observados. De causa desconhecida, sabe-se hoje em dia que esta nada tem a ver com o foro psiquiátrico, embora leve a perturbações físicas, psicológicas e emocionais extremamente debilitantes, que podem conduzir a significativas alterações de personalidade.

O exercício físico nestas situações é extremamente importante e não deve ser descurado como muitos evidenciam, tendo em conta que estes indivíduos por si só tendem a apresentar um elevado grau de inatividade devido à patologia, a não prática de exercício físico leva ao aclarar de processos como a obesidade, atrofia muscular, depressão e outros, que juntamente com os sintomas provocados pela doença "aniquilam" por completo quem dela é portador.

Um plano de exercício físico individualizado e específico, visando a mobilização muscular geral, indo de encontro aos sintomas e capacidades do doente, proporciona-lhe não só uma melhoria de bem-estar físico, psicológico e emocional, como também um aumento da sua produtividade e qualidade de vida.


PLANO ESCLEROSE MÚLTIPLA

      A Esclerose Múltipla é uma doença inflamatória neurológica crónica de causa desconhecida que afeta o cérebro e a espinal medula, onde a camada que envolve e protege as células nervosas denominada de Mielina é danificada retardando ou mesmo bloqueando a informação entre o sistema nervoso central e as restantes partes do corpo, provocando sintomas como: fraqueza muscular, falta de coordenação e equilíbrio, falhas de raciocínio e memória, distúrbios visuais, sensação de tremor e formigueiro em várias partes do corpo.

A prática de exercício físico especifico que foque o aumento da capacidade cardiorrespiratória do doente, e consequente combate à fadiga são um dos muitos aspetos a ter em conta num plano de ação de confronto com a doença. O acompanhamento profissional é fundamental na perceção da evolução da doença e consequente aplicação de métodos na sua retardação e melhoria de condição do doente. 


PLANO ASMA

      Doença inflamatória crónica das vias aéreas, que resulta na obstrução parcial ou mesmo total do fluxo de ar no processo respiratório. Pode ser desencadeada pela acumulação anormal de líquido nos espaços intercelulares (edema) da mucosa brônquica que reveste internamente as vias respiratórias, pela produção e secreção excessiva de muco nas vias aéreas, inflamação interna das paredes respiratórias e Bronco-Espasmo (contração involuntária do músculo liso dos Brônquios).

Apesar do exercício físico ser considerado como um desencadeador de uma Crise de Asma, este supervisionado e especificamente prescrito inverte o fenómeno; exercícios que fomentem a manutenção e melhoria da condição óssea, muscular e ligamentar da zona torácica, não só estimulam a manutenção e melhoria do processo biomecânico respiratório, como também ajudam na manutenção e melhoria da condição física geral, essencial na melhoria da qualidade de vida desta população.


PLANO DIABETES 

      Doença metabólica crónica, a Diabetes Mellitus é caracterizada pelo aumento anormal de açúcar (glicose) no sangue. Os principais tipos de diabetes conhecidos são de Tipo I - (Insulinodependentes) e os Tipo II (Não Insulinodependentes).

Atingindo cerca de 10% da população diabética, a Diabetes Tipo I, resulta da destruição de células específicas do pâncreas que deixam de produzir ou produzem em quantidade insuficiente Insulina; hormona responsável pela regulação dos níveis de glicose no sangue.  No segundo caso (Tipo II), atingindo cerca de 90% da população diabética e apesar de poder ter como causa fatores genéticos, a verdade é que na maioria dos casos este Tipo é causado por práticas pouco saudáveis de vida, como o sedentarismo e hábitos alimentares pouco corretos. Sintomas como urinar muitas vezes e em grande quantidade (Poliúria), em especial à noite, sede constante e intensa (Polidipsia), fome constante e de difícil saciar (Polifagia), fadiga e visão turva associado a valores de glicemia ocasional de 200 miligramas por decilitro ou superior poderão ser objetivamente diagnóstico de Diabetes.  

A prática de exercício físico neste caso é fundamental na prevenção do aparecimento da doença, no entanto, após confirmado o diagnóstico, o exercício físico que promova a melhoria da condição física geral, suscita vários benefícios ao doente como: a melhoria da sensibilidade à Insulina e aparecimento de Diabetes Tipo II no Tipo I, aumento da tolerância à glicose e sua diminuição a nível sanguíneo no Tipo II. O Exercício Físico nestes casos deve ser sempre específico e supervisionado.


PLANO PÓS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL 

      O Acidente Vascular Cerebral ou AVC ocorre quando uma fração das células cerebrais morre ou deixa de funcionar corretamente devido a um bloqueio do fluxo de sangue numa artéria (AVC Isquémico, o mais frequente) ou através de uma artéria que se rompe, provocando uma hemorragia irritativa no tecido circundante à rutura e uma consequente pressão no cérebro devido ao coágulo formado (AVC Hemorrágico).

As consequências podem ser diversas dependendo da área do cérebro lesionada, condição do indivíduo, idade, etc. sendo a recuperação desta condição dependente da extensão das suas lesões. O Exercício Físico quando possível é fundamental na melhoria e recuperação física desta particularidade numa melhoria de qualidade de vida e de forma a evitar uma nova ocorrência desta contingência.


PLANO POSTURAL

      Segundo a O.M.S. (Organização Mundial de Saúde), cerca de 85% da população mundial teve ou terá dores nas costas. O sedentarismo e a má postura são as principais razões para esta causa. A dor intensa, o mau estar, a fadiga, o aparecimento de hérnias discais e até mesmo cardiopatias, são alguma das consequências relacionadas com as alterações físicas e mecânicas da coluna vertebral. A prática de exercício físico e a adoção de práticas posturais corretas são fatores essenciais para a manutenção de uma coluna vertebral saudável.  

Exercícios físicos que proporcionem novos padrões posturais fortalecendo músculos menos solicitados e alongando outros mais solicitados, são fatores essenciais para um bom restabelecimento postural. Cifose acentuada, Hiperlordose, Escoliose e Hérnias Discais são algumas das condições com que se poderá aconselhar connosco.


OUTROS PLANOS

      A Behealth.com.pt dispõe de uma equipa de profissionais credenciados e especializados em diversas áreas do exercício e saúde, se possui uma condição especifica não encontrada na nossa página, possui interesse em saber se essa mesma condição poderá sofrer a nossa intervenção, por favor Contacte-nos.